sexta-feira, 27 de março de 2015

Empresa Eólica Age Pelas Costas dos Moradores e Conseguem Liminar de Desapropriação de Terra.

Ontem, moradores de Moitas se reuniram com representantes da CPFL para decidir o que seria feito a respeito da construção da estrada de Moitas, a pavimentação.
Em declaração aos manifestantes, o Dr. Camilo, superintendente de operações da empresa, afirmou que não iria embora antes de ter uma situação resolvida, e ainda, que não iria falhar com a população...
(Veja o vídeo a seguir a partir dos 4:00 min.)


...Porém não foi isso que aconteceu. Ontem mesmo a empresa "mexeu os pauzinhos" e conseguiu uma liminar que obrigava a retirada dos moradores dos limites do parque eólico. Segundo informantes, os representantes da empresa chegaram a ameaçar a população dizendo que se os mesmos não saíssem do local, os guardas e policiais teria carta branca para partir para a violência.
Coisa que já tinha feito antes mesmo dessa liminar ser conseguida por eles. Alguns policiais lançaram dias antes, spray de pimenta nos manifestantes por não terem retirado o bloqueio para eles passarem o que causou grande revolta a população, mas os mesmo não partiram para agressão e o protesto continuou pacífico... pelo menos por parte dos moradores.

Hoje quando a notícia foi dada aos moradores, muitos ficaram desanimados porém antes que todos desistissem, uma "luz no fim do túnel" surgiu: Um pessoa deu a ideia de avançarem até a entrada de Moitas, bem na divisa entre os dois distritos: Icaraí - Moitas onde não estaria dentro dos limites do parque, ou seja, o protesto poderia continuar normalmente sem ir contra as lei judiciais...

Vale ressaltar que essa liminar foi emitida por um juiz ainda ontem, coisa que surpreendeu a todos considerando que os processos judiciais, demoram semanas, meses ou até anos para serem processados e concluídos. Mas isso não foi o caso da empresa, pois conseguiram com facilidade a documentação necessária.

Apesar disso os moradores não desistiram e estão mais fortes do que nunca, e hoje a tarde se reuniram com as autoridades locais. Prefeito, vereadora e advogado, dentre outros, estavam presentes dando mais detalhes do que ainda podia e não podia ser feito.







Os manifestantes agora irão ficar na divisa entre os dois distritos, como já aviam falado. Para a certeza de que o lacal era adequado, o prefeito Paulo Cesar verificou quais eram os limites da propriedade do parque eólico e confirmou que o local atualmente escolhido pelos manifestantes para  acampar e continuar o bloqueio não faz parte dos limites do parque, ou seja, o protesto está totalmente legal dando o total direito aos moradores para continuar com a manifestação e com o bloqueio da rua até que seja tomada as devidas providências como já tinha sido prometida pelo Dr. Camilo e não foi cumprida, pelo contrário, a empresa agiu de má fé e prometeu o que não pretendia cumprir dando falsas esperanças aos moradores e ainda, além de não cumprir com a palavra (o que, diga-se de passagem já é muito ridículo) ainda tentou silenciar a população e tirar deles o direito de reivindicação de uma coisa que a empresa já devia ter feito a anos.

Mais uma vez, peço que aguardem por novas informações. O Moitas Online estará acompanhando (na medida do possível) o desenvolver desse protesto e estara postando aqui qualquer novidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário